LOGIN usuário: senha: [ entrar ] ou [ Registre-se ]

Publicidade

Topo Esquerdo

Publicidade



Faça a sua denúncia.

Saiba a Quem Denunciar Irregularidades Ambientais

Se a situação envolver a compra, venda ou transporte ilegal de animais silvestres brasileiros, a denúncia pode ser feita à Renctas (Rede Nacional Contra o Tráfico de Animais Silvestres).

linhaverde.sede@ibama.gov.br. / Dúvidas? Ligue para JMA - 041 3024-8369
PARANÁ IBAMA PR

0xx ( 41 ) 3363-2525

Secretaria de Estado do Meio Ambiente
e Recursos Hídricos

0xx ( 41 ) 3322-1611

Sociedade Protetora dos Animais

0xx ( 41 ) 3256-8211

Secretaria Municipal do Meio Ambiente

0xx ( 41 ) 3335-2112

IAP INSTITUTO AMBIENTAL DO PARANÁ

0xx ( 41 ) 3213-3700

RIO GRANDE DO SUL IBAMA-RS

0xx ( 51 ) 3228-7290
0xx ( 51 ) 3228-7290

Fundação de Proteção Ambiental
Emergências Ambientais

0xx ( 51 ) 9982-7840

SANTA CATARINA IBAMA-SC

0xx ( 48 ) 3212-3300

Secretaria do Desenvolvimento
Urbano e Meio Ambiente

0xx ( 51 ) 9982-7840

Fatma Fundação do Meio Ambiente
Santa Catarina

0xx ( 48 ) 3216-1700

SÃO PAULO IBAMA-SP

0xx ( 11 ) 3066-2633

CETESB Companhia de Tecnologia
de Saneamento Ambiental

0800 11 35 60

Departamento de Proteção dos
Recursos Naturais de São Paulo

0xx ( 11 ) 3030-6807

RIO DE JANEIRO IBAMA-RJ

0xx ( 21 ) 2506-1734
0xx ( 21 ) 2506-1734

Fundação Estadual de Engenharia
do Meio Ambiente

0xx ( 21 ) 2270-6433
0xx ( 21 ) 2270-6098

Secretaria de Meio Ambiente
e Desenvolvimento Sustentável

0xx ( 21 ) 2299-9205

Comissão Estadual de Controle
Ambiental

0xx ( 21 ) 2299-5282

Fundo Estadual de Conservação
Ambiental

0xx ( 21 ) 2299-2217

MINAS GERAIS IBAMA-MG

0xx ( 31 ) 3299-0700
0xx ( 31 ) 3337-2624

Secretaria de Meio Ambiente
e Desenvolvimento Sustentável

0xx ( 31 ) 3298-6200

TOCANTINS IBAMA-TO

0xx ( 63 ) 3215-1873

ESPÍRITO SANTOS IBAMA-ES

0xx ( 27 ) 3324-1811

Secretaria Estadual para Assuntos
do Meio Ambiente

0xx ( 27 ) 3136-3492
0xx ( 27 ) 3136-3501

BAHIA IBAMA-BA

0xx ( 71 ) 3248-9427
0xx ( 71 ) 3345-7322

Diretoria de Desenvolvimento
Florestal

0xx ( 71 ) 3115-6101
0xx ( 71 ) 3115-6105

SERGIPE IBAMA-SE

0xx ( 79 ) 3211-0468

Administração Estadual
do Meio Ambiente

0xx ( 79 ) 3179-7310

ALAGOAS IBAMA-AL

0xx ( 82 ) 3241-1600

Secretaria Executiva do Meio Ambiente,
Recursos Hídricos e Naturais

0xx ( 82 ) 3315-2680

PERNAMBUCO IBAMA-PE

0xx ( 81 ) 3441-6338
0xx ( 81 ) 3441-5075

Companhia pernambucana
de Meio Ambiente

0xx ( 81 ) 2123-1800

PARAÍBA IBAMA-PB

0xx ( 83 ) 3218-7200

Secretaria Extraordinária
do Meio Ambiente, dos Recursos
Hídricos Minerais

0xx ( 83 ) 3218-4371

RIO GRANDE DO NORTE IBAMA-RN

0xx ( 84 ) 3201-5840

Instituto de Desenvolvimento
Econômico e Meio Ambiente

0xx ( 84 ) 3232-1976

CEARÁ IBAMA CE

0xx ( 85 ) 3277-1600

Superintendência Estadual
do Meio Ambiente

0xx ( 85 ) 3488-7474

MARANHÃO IBAMA-MA

0xx ( 98 ) 3221-2776

Secretaria do Meio Ambiente
e Recursos Hídricos

0xx ( 98 ) 3231-0738

GOIÁS E DF IBAMA-GO

0xx ( 062 ) 3901-1900

Secretaria do Meio Ambiente dos
Recursos Hídricos e da Habitação

0xx ( 62 ) 3224-2506
0xx ( 62 ) 3224-2823

MATO GROSSO DO SUL IBAMA-MS

0XX ( 67 ) 3382-2966

Secretaria do Meio Ambiente,
Cultura e Turismo

0xx ( 67 ) 3726-4363

RONDÔNIA IBAMA-RO

0xx ( 69 ) 3223-3607
0xx ( 69 ) 3223-3598

ACRE IBAMA-AC

0xx ( 68 ) 3226-3212

Secretaria do Meio Ambiente
e Recursos Naturais

0xx ( 68 ) 3224-5497
0xx ( 68 ) 3223-7432

AMAZONAS IBAMA-AM

0xx ( 92 ) 3613-3081

Secretaria do Meio Ambiente

0xx ( 92 ) 3648-0767

RORAIMA IBAMA-RR

0XX ( 95 ) 3623-9384

Secretaria do Meio Ambiente,
Interior e Justiça

0XX ( 95 ) 3623-2505

MATO GROSSO
Secretaria Especial de
Meio Ambiente

0800-65-3838

PARÁ IBAMA-PA

0xx ( 91 ) 3241-2621
0xx ( 91 ) 3224-5899

Secretaria executiva de Ciências,
Tecnologia e Meio Ambiente

0xx ( 91 ) 3181-3300

AMAPÁ IBAMA-AP

0xx ( 96 ) 3214-1119
0xx ( 96 ) 3214-1101

Coordenadoria Estadual
do Meio Ambiente

0xx ( 96 ) 3212-5304

PIAUÍ
Secretaria do Meio Ambiente
e Recursos Hídricos

0xx ( 86 ) 3216-2039
0xx ( 86 ) 3216-2040

Saúde

12/4/2012

Descoberta traz fôlego a tratamento de calvície

 

JMA-Jornal Meio Ambiente | Fonte Gazeta do Povo por Rafaela Bortolin

 

Temida pela maioria dos homens, a calvície é incurável e, por enquanto, apenas um tratamento é comprovadamente eficaz para contê-la. Uma descoberta recente deu novo fôlego à luta contra o proble­­ma. No mês passado, pesquisadores da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, disseram ter identificado uma proteína responsável pela calvície. O estudo apon­­ta que a área calva tem três vezes mais quantidade de prostaglandina D2, que inibe o crescimento dos fios, que a área com cabelo. Contudo, es­­­­pe­cialistas veem a novidade com ressalvas.

A expectati­va agora é de que a descober­ta origine novas medicações, com efi­­cácia maior do que as atuais. “Talvez seja possível gerar inibidores dessa proteína no futuro, mas ainda é cedo para saber. Em estudos para outros problemas, que usaram bloqueadores desse tipo, relatos de pesquisadores são de que não foi notada influência no crescimento dos cabelos”, diz a dermatologista e membro da Sociedade Internacional de Cirurgia de Restauração Capilar (ISHRS, na sigla em inglês) Christine Graf Guimarães.

Prevenção

Homens com parentes calvos podem procurar tratamento preventivo para retardar o enfraquecimento dos fios ainda na adolescência. A técnica consiste em diminuir a oleosidade do couro cabeludo com o uso de xampus especiais. “Também é bom evitar traumas mecânicos, como alisamentos, e o excesso de sol, além da ingestão de complementos vitamínicos. É bom alertar que esses recursos apenas retardam o aparecimento dos sinais. São incapazes de evitar a calvície”, explica a dermatologista Daniela Landim.

Mitos

Veja os maiores mitos associados à calvície masculina e entenda por que eles não são verdade:

Não lavar o cabelo ajuda a controlar a calvície.

Pelo contrário, deixar de lavar o cabelo regularmente causa um acúmulo de hormônios na região do couro cabeludo, aumenta a queda de cabelos e acentua a calvície. Como é comum as pessoas com propensão ao problema terem couro cabeludo mais oleoso, não lavar os fios também aumenta a produção de sebo e pode levar à dermatite seborreica. Por isso, a dica dos dermatologistas é lavar o cabelo normalmente, enxaguar bastante para não deixar condicionador acumulado na raiz e manter sempre o couro cabeludo limpo.

A queda acentuada de cabelo é a principal causa do problema.

A queda não causa a calvície. O que acontece é que, quando o cabelo cai, os folículos geralmente produzem fios mais fracos. Com o passar do tempo, esses fios vão ficando cada vez mais sensíveis até que não crescem mais.

Usar boné ou chapéu gera calvície.

A menos que o boné, chapéu, capacete ou touca de natação cause uma compressão excessiva da cabeça – a ponto de gerar dor e diminuir a circulação de sangue no couro cabeludo –, eles não têm qualquer relação com a calvície. Um cuidado é ficar de olho se eles não estão abafando demais o couro cabeludo, o que gera seborreia e pode desencadear uma queda de cabelo.

Tomar vitamina A ajuda a controlar o problema.

Na verdade, a suplementação de vitamina A não faz diferença para calvície e também é mito de que ela ajuda a fortalecer os cabelos e deixá-los mais fortes e sedosos. O que realmente faz diferença é ter bons hábitos, como uma alimentação saudável e equilibrada, praticar exercícios físicos três vezes por semana, não fumar e não abusar da ingestão de bebidas alcoólicas.

Usar xampu antiqueda previne a calvície.

O uso desse tipo de xampu não tem qualquer influência na calvície. Geralmente, esses produtos vêm com uma observação no rótulo, ressaltando que deve ser utilizado para proteger os fios e evitar a queda em pessoas que fazem tratamentos químicos nos cabelos. No caso de pessoas com a calvície diagnosticada, o melhor é apostar em produtos com zinco e cetoconazol, que ajudam a controlar o problema.

O problema

Causada por características genéticas, a calvície tem influência hereditária e está associada a uma sensibilidade à testosterona, o hormônio masculino, que afeta o crescimento dos cabelos. Os primeiros sinais podem aparecer ainda na adolescência, mas o mais comum é que sejam percebidos entre os 25 e os 40 anos. “Muitos se preocupam com a queda acentuada de cabelo, que pode ser o evento inicial, mas nem sempre ela aparece. O principal sinal é a mudança da característica do cabelo, que passa a crescer de forma mais lenta e fica progressivamente mais fino até ser completamente eliminado”, comenta a dermatologista do Hospital Vita Fabiane Mulinari Brenner.

Os homens devem ficar de olho nesses sinais e procurar um dermatologista assim que notarem as primeiras alterações. “Quanto antes começar o tratamento, melhores são os resultados. Há pacientes que me procuram depois de dez anos de calvície e querem recuperar os fios que já perderam. Hoje, isso ainda não é possível, e o tratamento serve para frear a perda e ter pequenos ganhos”, explica a dermatologista Daniela Landim.

Tratamento

Por enquanto, o tratamento mais eficaz com comprovação médica para a calvície masculina é a combinação do uso de medicamento, tônico capilar e xampu. Há também quem recorra ao transplante de cabelo. Confira mais detalhes:

Finasterida

Ingerida em forma de comprimido, bloqueia a ação da testosterona nos cabelos.
Tem uso diário e contínuo.
Em 1% dos casos pode gerar alguns efeitos colaterais, como diminuição da libido e
impotência sexual. Mesmo assim, comprovadamente não interfere na fertilidade e apenas reduz o volume da ejaculação.

Minoxidil

Usado como tônico, serve para engrossar os fios.
Deve ser aplicado diariamente, duas vezes ao dia, diretamente no couro cabeludo.

Cetoconazol e zinco

Servem para evitar o enfraquecimento dos fios e devem fazer parte da fórmula do xampu – usado duas ou três vezes por semana. Nos demais dias, deve-se usar outro produto que retire a oleosidade do couro cabeludo.

Segundo especialistas, em
geral, a combinação com o minoxidil e a finasterida leva três meses para reduzir a queda. Em seis meses, os fios passam a engrossar.

Laser de baixa intensidade

Como age diretamente nos folículos capilares, acelera a irrigação do couro cabeludo e apresenta bons resultados no espessamento dos fios. Indicado para todos os tipos de paciente. Com um mês de tratamento é possível notar resultados. Deve ser associado ao uso da finasterida, minoxidil e dos xampus para controle da calvície.

Transplante de cabelos

Consiste em retirar fios da região da nuca e redistribuí-los na área calva. Como é um processo cirúrgico, a pessoa deve procurar um profissional habilitado e de confiança. Assim como o laser, precisa ser associado com a medicação e o uso de produtos indicados.

Prevenção

Homens com parentes calvos podem procurar tratamento preventivo para retardar o enfraquecimento dos fios ainda na adolescência. A técnica consiste em diminuir a oleosidade do couro cabeludo com o uso de xampus especiais. “Também é bom evitar traumas mecânicos, como alisamentos, e o excesso de sol, além da ingestão de complementos vitamínicos. É bom alertar que esses recursos apenas retardam o aparecimento dos sinais. São incapazes de evitar a calvície”, explica a dermatologista Daniela Landim.

Mitos

Veja os maiores mitos associados à calvície masculina e entenda por que eles não são verdade:

Não lavar o cabelo ajuda a controlar a calvície.

Pelo contrário, deixar de lavar o cabelo regularmente causa um acúmulo de hormônios na região do couro cabeludo, aumenta a queda de cabelos e acentua a calvície. Como é comum as pessoas com propensão ao problema terem couro cabeludo mais oleoso, não lavar os fios também aumenta a produção de sebo e pode levar à dermatite seborreica. Por isso, a dica dos dermatologistas é lavar o cabelo normalmente, enxaguar bastante para não deixar condicionador acumulado na raiz e manter sempre o couro cabeludo limpo.

A queda acentuada de cabelo é a principal causa do problema.

A queda não causa a calvície. O que acontece é que, quando o cabelo cai, os folículos geralmente produzem fios mais fracos. Com o passar do tempo, esses fios vão ficando cada vez mais sensíveis até que não crescem mais.

Usar boné ou chapéu gera calvície.

A menos que o boné, chapéu, capacete ou touca de natação cause uma compressão excessiva da cabeça – a ponto de gerar dor e diminuir a circulação de sangue no couro cabeludo –, eles não têm qualquer relação com a calvície. Um cuidado é ficar de olho se eles não estão abafando demais o couro cabeludo, o que gera seborreia e pode desencadear uma queda de cabelo.

Tomar vitamina A ajuda a controlar o problema.

Na verdade, a suplementação de vitamina A não faz diferença para calvície e também é mito de que ela ajuda a fortalecer os cabelos e deixá-los mais fortes e sedosos. O que realmente faz diferença é ter bons hábitos, como uma alimentação saudável e equilibrada, praticar exercícios físicos três vezes por semana, não fumar e não abusar da ingestão de bebidas alcoólicas.

Usar xampu antiqueda previne a calvície.

O uso desse tipo de xampu não tem qualquer influência na calvície. Geralmente, esses produtos vêm com uma observação no rótulo, ressaltando que deve ser utilizado para proteger os fios e evitar a queda em pessoas que fazem tratamentos químicos nos cabelos. No caso de pessoas com a calvície diagnosticada, o melhor é apostar em produtos com zinco e cetoconazol, que ajudam a controlar o problema.

 

+ do Canal

 

© 2007 - 2012 JMA - Jornal Meio Ambiente. Todos os direitos reservados.